09/01/2018

Itajuípe: A triste realidade de uma cidade mal cuidada.

A imagem é triste, mas é a mais pura realidade. Não era para ser assim, mas Itajuípe está mal cuidada, entregue às moscas.
Essas imagens não são mais novidade para quem anda pela cidade dia a dia. O Itajuipense já está cansado de ver a triste realidade que vive o município.
Enquanto isso, a população assiste sem esperança uma cena que foi tanto criticada em palanques no período eleitoral. 


Uma cena repetitiva e sempre triste de conviver, uma realidade que lamentavelmente a população convive com ela, embora sendo cumpridores de seus deveres com a taxa de iluminação pública, a cidade continua na escuridão, com frequência as reclamações ocorrem, e uma vez ou outra, o poder público resolve fazer a substituição das luzes, mas sem um trabalho dedicado a manter a cidade iluminada, o problema persiste, pois enquanto conserta algumas, outras seguem apagadas.
É comum ouvir vereadores, comunidade em geral reclamar da cidade sem luz, as ruas ficam ainda mais vulneráveis as ações de bandidos, que se aproveitam do descaso da prefeita para praticar furtos.
Os moradores reclamam, mas o problema parece não ser de interesse do governo municipal.
Estive percorrendo a nossa cidade durante à noite, verifiquei um grande número de luzes nos postes públicos apagadas, deixando às ruas escuras, gerando medo e receio as pessoas para transitarem pelos locais. Algumas pessoas em virtude da escuridão, utilizam a rua como banheiro público. Acontece que todo mês em nossa conta de energia elétrica, vem a cobrança da TIP (taxa de iluminação pública),
O ano mal começou e velhos problemas continuam a assombrar Itajuípe. A cidade de Itajuípe sofre com o descaso da administração pública. O município carece de investimentos em praticamente todos os setores de responsabilidade da administração pública.
Na área de infraestrutura, os buracos tomam conta das ruas da cidade. O curioso é que a prefeitura realiza a operação “tapa-buracos” com terra, ao invés de cimento.



Quanto vale sua dignidade? Quanto vale quatro anos de mandato de um político? Quanto vale sua saúde? Quanto vale a educação dos seus filhos? Quanto vale a sua segurança e de sua família? Quanto vale o respeito para com seu semelhando? Quanto vale a sua vida de sua família? Compare tudo e reflita.
Como diz o velho ditado, “Quem se vende, não vale o dinheiro que recebe”!



O caso é sério e as autoridades municipais devem tomar a responsabilidade de resolver. Pois é de seu dever cuidar bem dos cidadãos que os elegeram e pagam seus altos salários.


Nenhum comentário:

Postar um comentário