30/05/2017

BAHIA: Empresa calçadista anuncia 600 empregos em Camacã

A calçadista Lia Line recebeu as chaves de um galpão industrial onde a empresa instalará a décima fábrica na Bahia. A entrega foi realizada pelo secretário de Desenvolvimento Econômico, Jaques Wagner, nesta segunda-feira (29), no município de Camacã, no sul da Bahia. “A parceria com o Governo do Estado tem sido a melhor possível. Nossos investimentos dão o retorno esperado e, em contrapartida, empregamos milhares de pessoas em várias regiões. Todos saem ganhando”, afirmou o diretor do grupo que controla a Lia Line, Irivan Soares. Com investimento previsto de R$ 5,8 milhões para implantação de unidade fabril, a Lia Line pretende criar 600 novos empregos na região para a fabricação da marca feminina Sua Cia. A estimativa é produzir 600 mil pares por ano quando a unidade estiver com a capacidade plena. “Não existe melhor política social do que criar emprego e renda. O trabalhador baiano corresponde, se apega à oportunidade e veste a camisa. E isso são os próprios empresários que dizem”, explicou Wagner. Motivada com a qualidade da mão de obra local, a Lia Line quer investir em capacitação. Poucos técnicos serão levados de fora para que possam preparar os moradores da região para, inclusive, assumirem posições de comando na empresa. “Queremos deixar nosso legado. Além de fazer bons negócios, assumimos um compromisso social com a Bahia”, acrescenta Soares. Os primeiros equipamentos começam a chegar na próxima semana. A primeira linha de montagem será inicialmente para treinamento e, em seguida, a empresa começará a produzir comercialmente. Gradativamente, serão instaladas outras três linhas. Candidata a uma vaga na empresa, Rosivânia Barbosa está desempregada há dois anos e vê na Lia Line a oportunidade de recomeçar a vida. “Sou boa de aprender coisas novas. Nunca fiz sapato na vida, mas vou aprender e fazer muito bem feito”, comemorou. A Lia Line tem 25 anos de mercado e vende para 40 países. A empresa gera 2,5 mil empregos na Bahia. Com a abertura da unidade em Camacã, o número de empregos chegará a 3,1 mil. A história da empresa com a Bahia começou há quatro anos, quando implantou a primeira filial na cidade de Itororó, em um dos galpões desocupados pela Azaleia, de propriedade do Estado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário