09/04/2017

Jornalista demitida da Record fala sobre assédio sexual sofrido na TV

Jornalista demitida da Record fala sobre assédio sexual sofrido na TV


Nas últimas semanas vieram à tona diversos casos de assédio sexual envolvendo profissionais da televisão brasileira. Nessa sexta-feira (7), a jornalista Elisângela Veiga, 27 anos, também revelou um caso de assédio sexual sofrido dentro da RecordTV do Rio Grande de Sul. Elisângela trabalhou como produtora da emissora durante cinco anos e foi demitida na passada segunda-feira (3). A jornalista contou que, em outubro de 2016, ela e outros jornalistas da RecordTV do RS fizeram uma greve exigindo melhores condições de trabalho. "Decidimos fazer um dia de greve para chamar a atenção da chefia superior sobre os assédios moral, que todos sofrem, e até mesmo sexual, que eu sofri, naquela emissora. O resultado foi a demissão de apenas um dos chefes, o que me assediava sexualmente, a permanência da outra chefe, que pratica assédio moral com todos, e a demissão de oito funcionários, incluindo eu, que lutaram por melhorias nas condições e no ambiente de trabalho", escreveu Elisângela. A jornalista acredita que foi demitida por ter participado do movimento e afirmou que irá processar a emissora, por ter sofrido assédio sexual e moral de seus superiores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário